A reação de combate ao estresse

A reação de combate ao estresse é um problema médico que acontece com alguns soldados por causa do trauma da guerra. No passado, era chamado de choque de batalha, neurose de guerra, ou fadiga de batalha. Ela causa tanto problemas mentais quanto físicos. É semelhante ao transtorno de estresse agudo, e pode freqüentemente tornar-se transtorno de estresse pós-traumático.

A reação de combate ao estresse não afeta a todos igualmente. Às vezes, faz com que os soldados fiquem muito infelizes. Às vezes, causa uma grave incapacidade aos soldados.

O estágio agudo (precoce) da reação ao estresse de combate é o melhor momento para evitar que as coisas piorem. Desde a Primeira Guerra Mundial, soldados em estágios iniciais de reação ao estresse em combate geralmente são tratados na linha de frente - perto de onde o combate está acontecendo.

Sintomas

A reação de combate ao estresse pode ter muitos sintomas diferentes. Estes sintomas podem afetar o corpo do soldado (sintomas físicos), sentimentos (sintomas emocionais) e comportamentos (sintomas comportamentais). Dependendo da gravidade destes sintomas, as reações de combate ao estresse são rotuladas de leves (não muito ruins) a severas (muito ruins).

Sintomas físicos

Sintomas suaves

Os sintomas físicos leves podem incluir:

  • Sentindo-se cansado
  • Sentir-se nervoso
  • Suando
  • Tendo problemas para dormir
  • Rápido batimento cardíaco
  • Sentir-se tonto
  • Sentindo náuseas ou vomitando
  • Ter diarréia
  • Urinando muito
  • Não reagindo tão rapidamente quanto de costume às coisas
  • Boca seca
  • Músculos apertados

Estes sintomas não podem causar problemas de segurança, nem impedir o soldado de trabalhar. Entretanto, se o soldado não receber ajuda, os sintomas podem se tornar graves.

Sintomas Graves

Os sintomas graves podem incluir:

  • Ser incapaz de sentar ou ficar parado
  • Ser surpreendido muito facilmente
  • Tremendo ou tremendo
  • Fraqueza
  • Paralisia
  • Audiência problemática
  • Sentindo-se exausto
  • Ser incapaz de se mover
  • Olhar em frente sem olhar para nada (isso às vezes é chamado de "o olhar de mil jardas")
  • Palpitações (coração palpitante)
  • Hiperventilação (respiração muito rápida)
  • Sentir-se incapaz de falar
  • Ser incapaz de dormir

Sintomas Emocionais

Os sintomas emocionais podem incluir:

  • Sentindo-se ansioso
  • Ter problemas para se concentrar ou se concentrar em algo
  • Ter pesadelos
  • Não se sente confiante
  • Sentindo raiva
  • Sentir-se estressado ou muito chateado por pequenas coisas

Sintomas Comportamentais

Os sintomas comportamentais podem incluir:

  • Não ser capaz de tomar decisões
  • Não prestando bem atenção
  • Não se preocupando com as coisas
  • Estar muito alerta
  • Não se sentir motivado (não querer fazer nada)
  • Comportamento agressivo
  • Chorando
  • Ser incapaz de relaxar
O soldado da esquerda tem um olhar que se chama "o olhar de mil jardas". Isto pode ser um sintoma de reação ao estresse de combate ou PTSD.
O soldado da esquerda tem um olhar que se chama "o olhar de mil jardas". Isto pode ser um sintoma de reação ao estresse de combate ou PTSD.

História

SigmundFreud estudou os efeitos da "neurose de guerra". Ele acreditava que, sem muito estresse, as pessoas podem equilibrar impulsos (o que querem fazer) e proibições (o que sabem que não devem fazer). Entretanto, ele pensava que o estresse traumático pode causar impulsos poderosos que uma pessoa não pode mais controlar. Em situações de combate, ele pensou que isto poderia causar a fuga de soldados, ou um ataque cego. Ele acreditava que os soldados tentariam deter esses impulsos, o que levaria a sintomas emocionais e até mesmo à perda das habilidades físicas.

Primeira Guerra Mundial

Durante a Primeira Guerra Mundial, a reação de combate ao estresse foi chamada de "choque de concha". No início de 1916 (apenas na metade da guerra), o número de soldados britânicos com "choque de concha" era enorme. Poucos desses soldados retornaram à batalha. Cerca de 30-40% dos soldados com "choque de concha" enviados aos hospitais na França retornaram à batalha. Apenas cerca de 4-5% dos soldados enviados a hospitais no Reino Unido retornaram.

Devido a isso, novas unidades foram criadas. Elas foram chamadas de "Centros Nervosos Ainda Não Diagnosticados". Esses centros não usavam termos como "neurose de guerra" ou "choque de concha". Eles usavam um novo modelo de tratamento chamado "PIE" para tratar soldados com reação de estresse de combate. "PIE" significava "Proximidade, Imunidade e Expectativa":

  • A proximidade significava que os soldados com reação de estresse em combate deveriam ser tratados perto da linha de frente (perto de onde o combate estava acontecendo).
  • A imunidade significava que estes soldados deveriam ser tratados imediatamente - não apenas depois que soldados que foram feridos fisicamente fossem tratados.
  • A expectativa significava que cada soldado sabia que era esperado que ele voltasse ao combate.

O modelo de tratamento PIE foi desenvolvido por Thomas W. Salmon. Depois que o tratamento "PIE" foi iniciado, cerca de 80% dos soldados tratados nos "Centros Nervosos Ainda Não Diagnosticados" retornaram ao combate. (No entanto, alguns desses soldados não foram capazes de fazer um bom trabalho quando voltaram ao combate).

Segunda Guerra Mundial

As forças britânicas não utilizaram os princípios do PIE durante a Segunda Guerra Mundial. Em vez disso, eles enviaram soldados com reação de combate ao estresse para hospitais psiquiátricos.

Os militares dos Estados Unidos não esperavam que seus soldados tivessem reações de estresse de combate quando entrassem na guerra. Eles testaram os soldados quando estavam se alistando (sendo alistados para o serviço militar). Eles acreditavam que este teste mostraria quais pessoas eram "psicologicamente fracas" e que estas pessoas não seriam autorizadas a ir para a guerra. Entretanto, como a reação de combate ao estresse não é causada pela fraqueza, isto não funcionou, e muitos soldados americanos tiveram reações de combate ao estresse.

Para tratar esses soldados, o Capitão Frederick Hanson começou a usar novamente os princípios do PIE. Ele disse que 70% dos 494 pacientes que ele tratou retornaram ao serviço após 48 horas de tratamento com PIE. O General Omar Bradley decidiu chamar a reação de estresse de combate de "exaustão" e também decidiu dar sete dias de descanso aos soldados "exaustos".

O principal objetivo do PIE era devolver soldados "exaustos" para combater, não para tratar o trauma que causa a desordem. Devido a isso, muitos dos soldados que retornaram ao serviço - possivelmente até 70% - retornaram em posições não-combatentes.

A Guerra da Coréia

Durante a Guerra da Coréia, os Estados Unidos começaram a usar os princípios do PIE nas primeiras 8 semanas da guerra. Relatórios mostram que 65-75% dos soldados com reações de estresse em combate retornaram ao serviço. Entretanto, apenas 44% conseguiram fazer seu trabalho a um nível médio ou melhor.

A Guerra do Vietnã

No início da Guerra do Vietnã, os militares dos Estados Unidos dispunham de serviços psiquiátricos eficazes dentro de 8 semanas após o início da guerra. Os tratamentos eram baseados nos princípios do PIE. Foram criadas unidades psiquiátricas móveis especiais - soldados que podiam dar tratamento de PIE em diferentes lugares.

Durante a guerra, não foram relatados muitos casos de reação ao estresse de combate. Por causa disso, muitas pessoas pensavam que as reações de combate ao estresse não desempenhariam mais um grande papel na guerra.

Entretanto, depois que os soldados voltaram para casa, muitos tiveram problemas com a reação ao estresse de combate. A alienação leva ao abuso de substâncias, o que esconde reações de estresse de combate que nunca haviam sido tratadas. Se as taxas de transtorno de estresse pós-traumático nos veteranos do Vietnã estiverem corretas, os princípios do PIE não evitaram uma epidemia de transtornos psiquiátricos.

A Primeira Guerra do Golfo

Os militares dos Estados Unidos entraram nesta guerra esperando um grande número de causalidades psicológicas. O tratamento incluiu a psiquiatria tradicional, bem como a atenção às questões familiares. Como esta guerra se movia tão rapidamente, diagnosticar soldados com reação de estresse em combate era difícil.

Alguns comandantes usaram a reação de estresse de combate como desculpa para impedir que os soldados retornassem ou os expulsassem das forças armadas. Isto acabou se somando ao estigma ligado aos problemas de saúde mental nas forças armadas.

Tratamento e Diagnóstico Hoje

Hoje, o Exército dos Estados Unidos usa a sigla BICEPS, que significa brevidade, imediatismo, contato, expectativa, proximidade e simplicidade:

  • A brevidade é um curto período de descanso. Muitos soldados retornam ao serviço após este breve descanso. Os pacientes mais seriamente afetados são encaminhados para o próximo nível.
  • Imunidade significa que o tratamento deve começar assim que os sintomas aparecerem.
  • O contato significa que o soldado deve ser capaz de ver os membros de sua unidade enquanto recebe tratamento. Isto pode ajudar o soldado a continuar se sentindo como um soldado e um membro da unidade, ao invés de se sentir como um paciente.
  • Expectativa significa que os soldados devem ser informados de que sua reação ao estresse é normal, e que eles são esperados de volta com sua unidade.
  • Proximidade (proximidade) significa que os soldados devem ser tratados perto de sua unidade, mas longe de pacientes que estejam fisicamente feridos (a menos que nada mais seja possível).
  • Simplicidade significa que o tratamento deve envolver formas simples de melhorar a autoconfiança e a saúde física dos soldados.

O tratamento de hoje também inclui os "5 R's":

  • Assegurar a normalidade (tranquilizar os soldados de que suas reações ao estresse são normais)
  • Descanso
  • Reponha as necessidades corporais (certifique-se de que os corpos dos soldados estão recebendo o que precisam, como comida e bebida suficientes)
  • Restabelecer a confiança
  • Manter (manter) contato com outros soldados e unidade

Hoje, os soldados são tratados por sua resposta para combater o estresse, não como se tivessem problemas emocionais.


AlegsaOnline.com - 2020 / 2022 - License CC3