Wilhelm Furtwängler

Wilhelm Furtwängler (nascido em Berlim, 25 de janeiro de 1886; falecido em Baden-Baden, 30 de novembro de 1954) era um maestro alemão. Ele é considerado um dos maiores maestros da história. Muitas pessoas dizem que ele é o melhor de todos os tempos. O famoso maestro italiano Arturo Toscanini disse que ele era o melhor maestro do mundo, além dele mesmo.

Furtwängler era especialmente famoso por dirigir a música de compositores alemães famosos. Suas apresentações de Beethoven, Brahms, Bruckner e Wagner são muito conhecidas e amadas por muitas pessoas.

Retrato de Wilhelm Furtwängler por Emil Orlik
Retrato de Wilhelm Furtwängler por Emil Orlik

Vida precoce

Furtwängler nasceu em 25 de janeiro de 1886 em Berlim, Alemanha. Ele cresceu em Munique, onde seu pai era arqueólogo e professor. Ele começou a aprender sobre música quando era muito jovem. Ele aprendeu a tocar piano e era muito talentoso. Ele também começou a escrever música. Ele escreveu várias peças antes dos 20 anos de idade. Ele continuou escrevendo música pelo resto de sua vida, mas suas peças nunca se tornaram muito famosas.

Condução de carreira

Furtwängler começou a conduzir quando jovem. Ele queria conduzir a fim de executar sua própria música. Entretanto, ele rapidamente se tornou famoso por conduzir a música de outros. A primeira peça que ele conduziu em público foi a 9ª Sinfonia de Bruckner. Ele dirigiu muitas orquestras antes de finalmente se tornar o líder da mundialmente famosa Orquestra Filarmônica de Berlim, em 1922. Mais tarde, ele também teve muitos outros importantes trabalhos de regência. O mais importante foi o diretor do Festival Bayreuth, um festival de música alemã muito famoso.

Os nazistas e a Segunda Guerra Mundial

Quando os nazistas tomaram a Alemanha na década de 1930, Furtwängler estava em uma posição incômoda. Ele queria conduzir alguns tipos de música de que os nazistas não gostavam. Ele deixou alguns de seus trabalhos de direção em protesto quando eles não o deixaram tocar. Em 1936 ele quase deixou a Alemanha para morar nos Estados Unidos, onde a Orquestra Filarmônica de Nova York queria que ele conduzisse. Entretanto, os nazistas ainda o achavam um bom maestro, e o mantiveram na Alemanha. Ele também queria ficar para proteger a música alemã dos nazistas. As pessoas nos Estados Unidos não gostavam dele por ficar, mesmo que ele não gostasse muito dos nazistas.

Durante a Segunda Guerra Mundial, Furtwängler continuou a conduzir a Filarmônica de Berlim. Ele deu muitos concertos muito famosos durante este tempo. Mas no final da guerra, os nazistas ficaram insatisfeitos com ele. Ele fugiu da Alemanha em 1945 e viveu na Suíça por vários anos. Ele não voltou a dirigir durante dois anos.

Após a guerra

Após a guerra, Furtwängler ainda se encontrava em uma posição difícil. Os Aliados pensavam que ele tinha sido um apoiador nazista porque tinha ficado na Alemanha. Eles o colocaram em julgamento, mas finalmente decidiram que ele era inocente. Ele foi autorizado a voltar a conduzir em 1947. Embora ele fosse inocente, as pessoas nos EUA ainda não gostavam dele. Ele ia dirigir a Orquestra Sinfônica de Chicago, mas não lhe foi permitido porque as pessoas se zangaram com isso.

Furtwängler deu muitos concertos de sucesso após a guerra. Ele ainda dirigiu a Filarmônica de Berlim e outras orquestras famosas na Europa. Furtwängler deu o concerto mais famoso de sua carreira em 1951. Naquele ano, ele dirigiu a 9ª Sinfonia de Beethoven no Festival de Bayreuth. Era a primeira vez que o festival acontecia desde o fim da guerra, seis anos antes. Muitas pessoas dizem que este concerto foi o maior concerto musical da história. Furtwängler finalmente morreu em 1954, quando ele tinha 68 anos de idade.

Estilo musical

Furtwängler tinha uma maneira muito incomum de conduzir. Seus movimentos com o bastão eram muito incômodos e estúpidos. Algumas pessoas disseram que ele parecia "como um fantoche sobre um cordel" quando ele conduzia. Ele gostava de desacelerar e acelerar a música com muita freqüência. Furtwängler acreditava que havia mais na música do que apenas as notas na partitura. Ele achava que era tarefa do artista fazer de cada apresentação algo especial. Isto significava que muitas vezes ele tocava a mesma peça de maneiras muito diferentes em concertos diferentes. Mesmo quando ele mudava a maneira como tocava uma peça, no entanto, a música era considerada muito bonita. Ele não gostava de maestros que apenas tocavam as notas da página sem fazer nada de especial com a música.

Como um maestro mais jovem, Furtwängler tocava música de muitos compositores diferentes. No entanto, como ficou mais velho, ele normalmente só tocava música dos grandes compositores alemães. Alguns de seus favoritos eram Beethoven, Brahms, Bruckner, e Wagner.

Gravações

Furtwängler não fez muitas gravações em estúdios. A tecnologia de gravação ainda era muito nova na época e não funcionava bem para a gravação de longas peças clássicas no início. Entretanto, muitos dos concertos de Furtwängler foram gravados, especialmente durante e após a Segunda Guerra Mundial. Hoje as pessoas pensam que estas são algumas das melhores gravações de todos os tempos. Seu famoso concerto em Bayreuth em 1951 é uma dessas gravações de concertos.


AlegsaOnline.com - 2020 / 2022 - License CC3