O Quebra-nozes

O quebra-nozes é um balé clássico em dois atos. Ele é baseado no conto de fadas de E.T.A. Hoffmann de 1816 The Nutcracker and the Mouse King. Ele conta a história de uma menina que vai à Terra dos Doces na noite de Natal. Ivan Vsevolozhsky e Marius Petipa adaptaram a história de Hoffmann para o balé. Pyotr Ilyich Tchaikovsky escreveu a música. Marius Petipa e Lev Ivanov desenharam as danças. O quebra-nozes foi apresentado pela primeira vez no Teatro Mariinsky em São Petersburgo, Rússia, em 18 de dezembro de 1892, com um modesto sucesso e raramente visto nos anos seguintes.

Em 1940, Walt Disney usou parte da música do quebra-nozes em seu filme animado Fantasia, o que levou a um interesse no balé. O interesse cresceu quando The Nutcracker, de George Balanchine, foi televisionado no final dos anos 50. O balé tem sido apresentado em muitos lugares diferentes desde então. Antes da primeira apresentação, Tchaikovsky tirou alguns números do balé para formar o Conjunto Quebra-nozes. Este trabalho foi um grande sucesso no palco do show, e ainda é tocado até hoje.

Origem

A origem de The Nutcracker tem suas raízes no grande sucesso do balé The Sleeping Beauty. Este balé foi encenado no Teatro Mariinsky em São Petersburgo, Rússia, em 1890. Foi o trabalho do diretor dos Teatros Imperiais em São Petersburgo, Ivan Vsevolozhsky; do compositor, Tchaikovsky; e do coreógrafo, Marius Petipa. Vsevolozsky pensou que outro balé baseado em uma história infantil seria tão bem sucedido quanto A Bela Adormecida.

Ele escolheu o conto de fadas de Hoffmann "The Nutcracker and the Mouse King" de 1816 como tema para o novo balé. Esta história foi adorada pelos russos. Ele escreveu uma adaptação da história de Hoffmann com base na tradução de Alexandre Dumas. Ele deixou cair grande parte do original. Petipa adaptou a história de Vsevolozsky às exigências do balé. Vsevolozsky então pressionou Tchaikovsky a escrever a música para o balé. Tchaikovsky não gostou da adaptação da história de Hoffmann, mas ele concordou em escrever a música.

Petipa projetou as danças. Ele deu a Tchaikovsky instruções especiais sobre como a música deveria ser escrita. Por exemplo, ele queria um grande crescendo de 48 compassos à medida que a árvore de Natal subia cada vez mais alto no Ato 1. Ele escreveu que a música para a "Dança da Fada da Ameixa de Açúcar" deveria soar como gotas de água salpicando em uma fonte.

Em março de 1892, a música estava quase completa. Tchaikovsky levou a "Dança da Fada das Ameixas", a "Valsa das Flores", e outros números do balé para formar a Suíte Quebra-nozes de 20 minutos. Foi tocada pela primeira vez para a Sociedade Musical Russa. Os membros da organização adoraram. A Suíte Quebra-nozes ainda é tocada hoje.

Tchaikovsky completou a música para o balé em abril de 1892. Os ensaios começaram em setembro de 1892. Petipa adoeceu e seu assistente, Lev Ivanov, completou as danças. O balé foi apresentado pela primeira vez em 18 de dezembro de 1892 no Teatro Mariinsky, em São Petersburgo. A ópera Iolanta de um ato de Tchaikovsky foi interpretada antes que a cortina subisse em O Quebra-Nozes. A apresentação terminou em janeiro de 1893, após onze apresentações.

Página de título da tradução de Alexandre Dumas da história com Clara, Fritz e Drosselmeyer na página. O balé foi baseado nesta tradução.Zoom
Página de título da tradução de Alexandre Dumas da história com Clara, Fritz e Drosselmeyer na página. O balé foi baseado nesta tradução.

Mais tarde

Em 1919, o coreógrafo Alexander Gorsky encenou uma produção. Ele recortou a Fada da Ameixa e seu Cavaleiro, e deu suas danças a Clara e ao Príncipe Quebra-Nozes. Elas agora eram tocadas por adultos ao invés de crianças. Uma versão resumida do balé foi apresentada pela primeira vez fora da Rússia na Royal Opera House de Budapeste, em 1927.

Em 1934, Vasili Vainonen, coreógrafo do Balé Kirov, encenou uma versão da obra que também foi influenciada pelas críticas à produção original. Ele também escolheu bailarinos adultos para os papéis de Clara e do Príncipe, como Gorsky tinha feito. A versão de Vainonen influenciou várias produções posteriores. O conhecimento da coreografia se espalhou porque muitos dançarinos foram para o oeste após a Revolução Russa.

A primeira apresentação completa fora da Rússia ocorreu na Inglaterra em 1934. Ela foi encenada por Nicholas Sergeyev no Vic-Wells Ballet. Utilizou uma versão da coreografia original de Petipa. As apresentações anuais do balé têm sido encenadas lá desde 1952.

Lote

O balé é realizado na Alemanha no início do século XIX. A cortina se levanta em uma festa de Natal na casa da Silberhaus. Chegam os convidados. As crianças recebem seus presentes e depois dançam sobre o quarto.

A porta se abre. Um estranho homenzinho chamado Drosselmeyer entra na sala. Ele é um fabricante de brinquedos. Ele também é o padrinho de Clara Silberhaus. Ele tem quatro bonecos de dança para as crianças e uma surpresa especial para Clara. Ele é um quebra-nozes. Ela adora, mas seu irmão Fritz o quebra. Ela coloca o quebra-nozes em sua cama de bonecas para ficar boa.

A festa termina e todos vão embora. Clara e sua família vão para a cama. Clara volta para o quarto. Ela precisa ter certeza de que seu quebra-nozes está descansando em silêncio. De repente, os ratos começam a correr pelo quarto. As bonecas, os soldados de lata e todas as outras brincadeiras ganham vida para lutar contra os ratos.

A árvore de Natal sobe cada vez mais alto. O quebra-nozes salta da cama de bonecas para lutar contra o Mouse King. Quando o Quebra-nozes está em perigo, Clara salva sua vida atirando seu chinelo no Mouse King. O Mouse King corre para fora da sala com todos os outros ratos.

O Quebra-Nozes se torna um príncipe humano. Clara e o Príncipe Quebra-nozes partiram pelos bosques nevados para a mágica Terra dos Doces. A bela Fada da Ameixa de Açúcar governa esta terra. Ela dá as boas-vindas às duas crianças e então ordena que seus súditos dancem para elas. São apresentadas danças sobre Café, Chá e Chocolate. Muitas outras danças são apresentadas. O balé termina com todos dançando uma valsa.

Marius Petipa escreveu o libreto para o balé e projetou as danças.Zoom
Marius Petipa escreveu o libreto para o balé e projetou as danças.

Estrutura

  • Abertura

Ato I: Quadro 1

  • No.1 Cena (A árvore de Natal)
  • No.2 de março
  • No.3 Galop e Dança dos Pais das Crianças
  • No.4 Cena de Dança (Chegada de Drosselmeyer)
  • No.5 Cena e Dança do Avô
  • No.6 Cena (Clara and the Nutcracker)
  • No.7 Cena (A Batalha)

Ato I: Quadro 2

  • No.8 Cena (A Pine Forest in Winter)
  • No.9 Valsa dos Flocos de Neve

Ato II: Quadro 3

  • No.10 Cena (O Reino dos Doces)
  • No.11 Cena (Clara e o Príncipe Quebra-Nozes)
  • No.12 Divertissement:

a. Chocolate (Dança Espanhola)

b. Café (Dança Árabe)

c. Chá (Dança Chinesa)

d. Trepak (Dança Russa)

e. Dança dos Reed-Pipes

f. A Mãe Gigogne e os Palhaços

  • No.13 Valsa das Flores
  • No.14 Pas de Deux (Fada da Ameixa de Açúcar e Príncipe Coqueluche)
  • No.15 Valsa Final e Apoteose

Recepção

As críticas sobre o balé foram mistas. Uma parte pensou que era uma composição nobre, com temas e emoções exemplares, por mais que muitos pensassem o contrário. Os balletomanes russos gostavam de dançarinos adultos experientes e o grande elenco de crianças foi atacado criticamente. Uma pessoa reclamou que o balé era "produzido com crianças para crianças". Até mesmo os dançarinos adultos ficaram sob fogo. Uma pessoa, por exemplo, achava que a bailarina que fazia o papel de boneca no Ato 1 era "simpática" enquanto outra pessoa achava que ela era "insípida".

Um crítico reclamou que o balé estava de mau gosto porque os personagens do Ato 2 pareciam comida de uma pastelaria. Outro reclamou que a "Valsa dos Flocos de Neve" de Ivanov foi retirada dos balés por Petipa. Tchaikovsky, porém, achou a encenação muito bonita, tanto que seus olhos se cansaram de olhar para ela.

Algumas pessoas se surpreenderam que Tchaikovsky tivesse algo a ver com o balé. Eles achavam que O Quebra-Nozes era uma tolice. Ficaram envergonhados de que o grande compositor tivesse participado dele. Na primeira noite, porém, o czar Alexandre III chamou Tchaikovsky antes dele na caixa real para parabenizá-lo pela música.

Os jornais foram divididos quanto ao valor do balé. A Gazeta de São Petersburgo escreveu "este balé é a coisa mais tediosa já vista ... muito longe do que a música de balé deveria ser". A Gazeta de São Petersburgo escreveu: "É difícil dizer qual é o maior número, pois tudo do início ao fim é lindo". A New Age escreveu que a escrita orquestral de Tchaikovsky era obra de gênio. Um amante do ballet pensou que The Nutcracker era o maior dos três balés que Tchaikovsky havia escrito.

O Quebra-nozes foi produzido pela primeira vez em 1892 no Teatro Mariinsky, São Petersburgo, Rússia. Esta fotografia mostra o teatro antes de 1917Zoom
O Quebra-nozes foi produzido pela primeira vez em 1892 no Teatro Mariinsky, São Petersburgo, Rússia. Esta fotografia mostra o teatro antes de 1917

Pós-Premier

A corrida inicial do balé terminou em janeiro de 1893. Quando a Revolução Russa eclodiu em 1917, muitos dançarinos de balé ficaram desempregados. Eles foram para a Europa. Conversaram com seus novos amigos na Europa sobre O Quebra-Nozes. Algumas seleções foram feitas aqui e ali. Em 1940, Walt Disney usou algumas das músicas de seu filme Fantasia. Em 1944 o Quebra-nozes foi encenado no Ballet de São Francisco por William Christensen, o "primeiro longa-metragem completo" na véspera de Natal. W.Christensen foi chamado de avô do American Ballet, nascido (1902-2001) em Brigham City, Utah. Ele tinha estabelecido o Balé de São Francisco em 1938. Mais tarde ele fundou o departamento de balé para a Universidade de Utah em 1951, o primeiro de seu tipo, e o Ballet West em 1963. A criação do Sr. C tem um 75º Aniversário durante a temporada 2019-2020. Em 1954 George Balanchine encenou The Nutcracker na cidade de Nova York. As pessoas gostaram. Quando foi exibido na televisão em 1957 e 1958, o balé se tornou mais famoso do que nunca. O Quebra-nozes da televisão de Balanchine divertia-se o suficiente para as pessoas que não tinham visto um balé e dançava nele para agradar aos amantes do balé que o assistiam. Nos anos 60, pequenas empresas de ballet começaram a produzir The Nutcracker porque podia ganhar muito dinheiro e, ao fazê-lo, manter a empresa em atividade.

Tempos modernos

Hoje, The Nutcracker tem sido encenado e visto por muitas pessoas em todo o mundo. Jennifer Fisher ressalta que é "o balé mais popular e mais frequentemente [encenado] do mundo". Na América do Norte, é um evento anual em muitos lugares. Pais e filhos participam da encenação do balé e dançam nele. Bailarinas treinadas dançam lado a lado com crianças que só estão aprendendo a dançar. Os pais trabalham em fantasias e cenários. As celebridades locais fazem pequenas caminhadas.

Houve muitas adaptações do balé ao longo dos anos. Nos Estados Unidos, por exemplo, existem versões hula, tap dance, reggae, cadeira de rodas, dance-along, ice, e drag. No Canadá, houve adaptações do hóquei. Produtos como bonecos Nutcracker, sabonetes, alimentos e roupas são vendidos em teatros antes do espetáculo.

Os amantes do ballet questionam o atual "dumbing-down" (simplificação excessiva) de The Nutcracker para torná-lo acessível às massas. As razões pelas quais o balé era originalmente antipático na Rússia (as muitas crianças dançarinas, a história desigual) parecem ser as razões pelas quais o balé se tornou um sucesso tão grande na América do Norte. Os americanos gostam de ver seus filhos no palco e a história é muito parecida com as histórias de trapos para ricos que os americanos adoram. Algumas pessoas, porém, reclamam dos estereótipos das crianças no Ato 1 (meninos são safados, meninas são legais) e também dos estereótipos dos árabes e chineses no Ato 2.

Na primeira apresentação, Sergei Legat, 17 anos, apareceu como o quebra-nozes, Stanislava Stanislavovna Belinskaya, 12 anos, como Clara, e uma criança dançarina não identificada como um Homem Pão de Gengibre.Zoom
Na primeira apresentação, Sergei Legat, 17 anos, apareceu como o quebra-nozes, Stanislava Stanislavovna Belinskaya, 12 anos, como Clara, e uma criança dançarina não identificada como um Homem Pão de Gengibre.

Música

Instrumentação

Tchaikovsky escreveu The Nutcracker para uma orquestra de cordas, sopros de madeira, latão e percussão. A esta orquestra ele acrescentou uma celesta para a "Dança da Fada da Ameixa de Açúcar" no Ato 2 e instrumentos infantis - tambores, trombetas, pratos, chamas de pássaros, apitos e um guizo - para a festa de Natal no Ato 1. Os instrumentos foram especialmente encomendados e sintonizados às ordens de Tchaikovsky. O guizo é ouvido no fosso da orquestra quando Fritz racha nozes no Ato 1, e os outros instrumentos são ouvidos quando os meninos fazem muito barulho enquanto Clara conforta o Quebra-nozes quebrado.

Tchaikovsky esperava que as crianças tocassem os instrumentos no palco, mas elas tinham dificuldade em se manter junto com a orquestra. Por causa da dificuldade das crianças, Tchaikovsky tomou a decisão de que elas poderiam tocar livremente. Ele não lhes pediu para se manterem com a música escrita. Após a primeira noite, Tchaikovsky enviou seus agradecimentos e cestas de doces para as crianças da Escola Imperial de Ballet.

Celesta modernaZoom
Celesta moderna

Fada da Ameixa de Açúcar

A Fada das Ameixas é uma personagem em O Quebra-Nozes. A Fada da Ameixa só dança no segundo ato do balé. Clara adormece, e o segundo ato pode ser visto como o sonho de Clara. Roland John Wiley, no entanto, pensa que o segundo ato é uma realidade moldada por Drosselmeyer. A Fada da Ameixa de Açúcar é a governante da Terra dos Doces. Ela dá as boas-vindas ao Príncipe Quebra-Nozes e seu amor Clara à sua terra e ordena as festividades. A personagem é dançada por uma prima bailarina (dançarina principal), embora ela tenha pouco o que dançar. Ela é acompanhada por um bailarino masculino para um pas de deux perto do final do balé. Seu número neste pas de deux é chamado "Dança da Fada da Ameixa de Açúcar".

Dança da Fada da Ameixa de Açúcar

Dança da Fada da Ameixa de Açúcar

(Esquerda) 1892 sketch para a Terra dos Doces, a casa da Fada das Ameixas


Problemas para ouvir este arquivo? Veja a ajuda da mídia.

A "Dança da Fada das Ameixas" é um dos números mais famosos de The Nutcracker. Foi escrito para a celesta. Este instrumento era novo na época em que a dança foi escrita. Parece um pequeno piano, mas soa como sinos. Tchaikovsky descobriu o celesta em Paris em 1891 enquanto fazia uma viagem para os Estados Unidos. Sua editora comprou um e prometeu manter o segredo da compra. Tchaikovsky não queria que Rimsky-Korsakov ou Glazunov "soubessem e ... o usassem para efeitos incomuns (diferentes, estranhos) antes de mim". Petipa queria que a música da Fada das Ameijoas soasse como gotas de água salpicadas em uma fonte. Tchaikovsky pensava que a celesta era o instrumento para fazer isso. Os passos originais para a dança são desconhecidos. Antonietta Dell'Era foi a primeira a dançar a parte da Fada da Ameixa de Açúcar. A personagem tem muito pouca dança para dançar, então Dell'Era colocou um gavotte de Alphonse Czibulka no balé. Ela então tinha algo mais a fazer.

Opinião histórica

Em sua biografia sobre Tchaikovsky John Warrack aponta que a maior fraqueza do balé é sua história. Ela não permitiu que Tchaikovsky desenvolvesse musicalmente o balé à maneira do Lago dos Cisnes ou da Bela Adormecida. O que poucas passagens sinfônicas existem no balé (principalmente no Ato 1) não são as melhores que Tchaikovsky escreveu. Warrack pensa que a "natureza essencial" do balé é encontrada nos números separados. Tchaikovsky sabia disso quando montou a Suíte Nutcracker para promover o balé completo. Como a história era tão fraca e não permitia o desenvolvimento sinfônico, Tchaikovsky se entregou ao seu gosto pela "beleza" nos números separados. Isto é o que faz do quebra-nozes, segundo Warrack, um "entretenimento de gênio".

Na biografia de Tchaikovsky, o escritor David Brown aponta que Tchaikovsky não estava satisfeito com O Quebra-Nozes e reclamou com seus amigos sobre a dificuldade de colocar o conto na música. Brown pergunta por que Tchaikovsky se deixaria convencer a aceitar a história como o tema de um balé. Ele aponta que o Lago dos Cisnes e The Sleeping Beauty eram "dramaticamente carnudo e profundamente sério" enquanto The Nutcracker era "banal ... [e] inútil". O balé não tem um verdadeiro culminar que ele escreve. Ele então pergunta: "De que se tratava afinal? The Nutcracker não tem sentido no sentido mais profundo". Ele decide que o balé é a "mais inconseqüente" de todas as obras maduras do compositor para o teatro, e "sua estrutura dramática é a menos satisfatória". Embora Brown nunca dê sua aprovação a O Quebra-nozes, ele acha que Tchaikovsky fez um trabalho notável apesar das "terríveis limitações do assunto".

A Fada da Ameixa e seu Cavaleiro fazem seus arcos no Balé RealZoom
A Fada da Ameixa e seu Cavaleiro fazem seus arcos no Balé Real

Perguntas e Respostas

P: O que é o Quebra-nozes?
R: O Quebra-nozes é um balé clássico em dois atos, baseado no conto de fadas de E.T.A. Hoffmann de 1816 The Nutcracker and the Mouse King (O Quebra-nozes e o Rei do Rato).

P: Quem escreveu a história para o balé?
R: Ivan Vsevolozhsky e Marius Petipa adaptaram a história de Hoffmann para o balé.

P: Quem compôs a música para o balé?
R: Pyotr Ilyich Tchaikovsky escreveu a música para The Nutcracker.

P: Quem desenhou as danças?
R: Marius Petipa e Lev Ivanov desenharam as danças para O Quebra-nozes.

P: Quando ela foi apresentada pela primeira vez?
R: O Quebra-nozes foi apresentado pela primeira vez no Teatro Mariinsky em São Petersburgo, Rússia, em 18 de dezembro de 1892, com um sucesso modesto e raramente visto nos anos seguintes.


P: Como cresceu o interesse por esse balé com o passar do tempo?

R: O interesse cresceu quando Walt Disney usou parte de sua música em seu filme animado Fantasia, o que levou a um interesse crescente neste balé; então a versão de George Balanchine de O Quebra-Nozes foi transmitida na televisão no final dos anos 50, aumentando ainda mais sua popularidade em torno de diferentes lugares desde então.

P: Que trabalho Tchaikovsky realizou com este balé antes de sua primeira apresentação?

R: Antes de sua primeira apresentação, Tchaikovsky tirou alguns números deste balé para formar o que agora é conhecido como "A Suite Quebra-nozes", que se tornou um grande sucesso nos palcos de concertos e ainda é tocado hoje .

AlegsaOnline.com - 2020 / 2023 - License CC3